Menu

  • PERGUNTAS FREQUENTES

    general questions

    • Para voar para Padang é necessário fazer escala em Jacarta, Kuala Lumpur ou Singapura (as únicas 3 cidades com vôos directos para Padang).

      Jacarta é a melhor opção visto que há cerca de 20 vôos diários dali para Padang. Para este percurso (Jacarta-Padang) recomendamos a Garuda Airlines que é a melhor companhia aérea Indonésia e não cobra o transporte de pranchas de surf.

      De Kuala Lumpur para Padang há apenas 2 voos diários, e de Singapura para Padang há apenas 1 vôo por dia (em ambos os casos com a Air Asia), o que obriga a passar uma noite nessas cidades ou em Padang antes e/ou depois da viagem de barco.  Além disso não há vôos alternativos no mesmo dia em caso de necessidade (perda de vôo; atraso durante o regresso do barco a Padang no fim da viagem, etc.).

      Por estes motivos é preferível fazer escala em Jacarta.  No entanto, se não tiveres pressa para viajar e puderes passar uma noite em Padang, Kuala Lumpur ou Singapura, então não há qualquer problema em fazer trânsito nestas cidades.

    • O mais tardar às 15 horas do dia de embarque (primeiro dia da viagem). O barco zarpa ao fim da tarde, mas há sempre algumas coisas a fazer antes de embarcar: fotocopiar o passaporte, trocar dinheiro, comprar cigarros, cervejas, wax, um cartão SIM local para o telemóvel, etc.

    • Sim, um elemento da nossa equipe estará à sua espera no aeroporto de Padang para lhe dar as boas vindas e o levar para o barco, sem custos adicionais. Este transporte está incluído no preço da viagem.
      Por favor envie-nos os detalhes do seu voo (n.º do voo, dia e hora de chegada).

    • Sim. Caso chegue a Padang no dia anterior ao início da viagem, ou caso resolva partir de Padang no dia seguinte ao final da viagem (como recomendamos), pode ficar num hotel ou numa guest-house. Os preços são acessíveis, cerca de 40 USD para 2 pessoas num hotel de 4 estrelas; 10-15 USD por pessoa numa guest-house.
      Também podemos ajudá-lo a reservar esta estadia.

    • O regresso do barco a Padang está previsto para a manhã do último dia da viagem. Normalmente não há atrasos significativos, sendo possível partir de Padang nesse mesmo dia, após as 16h.
      No entanto, recomendamos que marquem o voo de partida de Padang para o dia seguinte ao último dia da viagem (dormindo uma noite em Padang), pois se houver mau tempo no regresso a Padang o barco pode chegar com várias horas de atraso, implicando a perda de voos marcados para esse dia.
      NOTA: É muito raro ocorrerem atrasos e normalmente é possível partir de Padang na tarde do último dia da viagem (após as 16h). A decisão de correr esse risco é vossa.

    • De Abril a Outubro. Este período do ano corresponde ao inverno no hemisfério sul, altura em que ocorrem grandes tempestades nos famosos Roaring Forties (latitudes 40-50 graus a sul do Equador, no Oceano Índico) que geram grandes ondulações. Estas ondulações (swells) viajam milhares de milhas, perdendo força pelo caminho, até atingirem as costas da Indonésia onde encontram recifes de coral, água morna e ventos fracos, condições perfeitas para a prática de surf.  Durante estes meses (Abril a Outubro) ocorre em média um bom swell todas as semanas nas ilhas expostas ao Oceano Índico.
      Durante os restantes meses do ano (de Novembro até Março) é verão no Oceano Índico e portanto há poucas tempestades, e as que ocorrem são mais fracas, resultando em ondas menores e menos consistentes, em particular entre Dezembro e Fevereiro (cerca de 1 swell de força média por mês).
      No entanto, Março e Novembro são meses de transição e ainda ocorrem alguns bons swells, e sem crowd nenhum!  Para quem procura surf mais “suave” e ondas desertas, Março e Novembro são uma excelente escolha para uma surf trip na Sumatra.

    • Existem ondas de qualidade excepcional em várias ilhas da Indonésia: Sumatra, Java, Bali, Lombok, Sumbawa, etc.  Mas para encontrar condições perfeitas para surfar é necessário ter em conta dois outros factores muito importantes: o vento e o crowd.
      Para evitar o vento é necessário surfar de manhã cedo (antes das 9 horas), ou então ir para regiões pouco ventosas.  Mas a maior parte do arquipélago indonésio está exposta aos ventos alísios, que sopram de sueste entre Abril e Outubro, e de noroeste durante o resto do ano.
      A única região da Indonésia não afectada pelos ventos alísios está situada numa faixa ao longo do Equador (latitudes 2º Norte até 2º Sul), denominada Zona de Convergência Intertropical (também conhecida por Doldrums), que é caracterizada por ventos fracos.
      E as únicas ilhas da Indonésia abrangidas por esta faixa de ventos fracos, e ao mesmo tempo expostas aos consistentes swells do Oceano Índico, são os arquipélagos das Mentawai, Telo, Hinako, Banyak, etc. Estas pequenas ilhas (várias centenas) apresentam um padrão de ventos fracos durante todo o ano, e estão diretamente expostas aos swells que viajam cerca de 5.000 km desde as zonas tempestuosas no sul do Oceano Índico (os Roaring Forties) até aos recifes de coral da Indonésia, onde chegam com períodos excecionalmente longos, por vezes superiores a 20 segundos.
      Por essas razões as ilhas da Sumatra apresentam as melhores condições para surfar em toda a Indonésia, e provavelmente no mundo, com swells muito consistentes, muitos dias sem vento, e uma quantidade incrível de surf spots.

      O crowd é outro problema em praticamente todos os locais onde existem boas ondas e acessos fáceis. Isto acontece em Bali, Lombok, Sumbawa, etc.
      Mas as ilhas da Sumatra (Mentawai, Telo, Hinako, Banyak, etc.) não têm acesso por avião nem por carro, e em muitas destas ilhas nem sequer existem infraestruturas para turistas (hotéis ou hospedarias, restaurantes, supermercados, etc.). Para surfar nestas ilhas é necessário um bom barco (e caro!) pois as ilhas estão situadas a cerca de 180 km da grande ilha de Sumatra (10 horas de navegação em mar aberto). Estes fatores fazem com que a maior parte dos surf spots nestas ilhas tenha pouco crowd, e que muitos deles estejam normalmente desertos.

      Em resumo, as ilhas da Sumatra são a melhor aposta para surfar ondas perfeitas e sem crowd devido a uma conjugação única de vários fatores:
      São as únicas ilhas localizadas numa região de ventos fracos e ao mesmo tempo expostas aos ground swells do Índico;
      O crowd é mínimo devido às dificuldades de acesso e à falta de infraestruturas para receber surfistas;
      Muitos surf spots ainda não são conhecidos pela maior parte dos surfistas.

    • Não!!! Essa ideia é um mito!
      Existem mais de 50 ondas nas ilhas Mentawai, mais de 30 ondas nas ilhas Telos, mais de 20 em Nias, etc., etc., e claro que há ondas para todos os níveis: fáceis, médias e difíceis, rápidas e lentas, com tubo e sem tubo, etc. Há ondas para todos os níveis de surf.
      O tamanho médio das ondas na Sumatra varia entre 1m e 2m. É raro o mar subir acima disso, e quando acontece é apenas durante 1 ou 2 dias, e nesses dias normalmente há spots alternativos para surfar ondas menores. Nós conhecemos muitos spots para surfistas que não querem fazer tubos de 2,5m, por isso não se preocupe, nós encontramos as ondas ideais para si!
      Quase todas as ondas quebram sobre bancadas de coral o que obriga a ter algum cuidado, em particular com a maré vazia. Mas o nosso surf-guide não leva os guests para locais perigosos ou com condições hard-core.
      Normalmente os nossos guests surfam todos os spots que visitamos. Muitos deles dizem-nos que apanharam as melhores ondas da sua vida, ou os melhores tubos …ou o seu primeiro tubo!

    • Sim, desde que você não seja um principiante de “nível 1”.  Se consegue apanhar ondas sozinho (sem ser empurrado) então está apto para uma surf trip na Sumatra.
      Claro que alguns surf spots são para surfistas experientes, mas isso acontece em qualquer parte do mundo. Você não precisa de surfar nesses spots, e na verdade há muitas pessoas que não surfam neles.
      Existem literalmente centenas de surf spots espalhados pelas ilhas Mentawai, Telo, Nias, Hinako e Banyak, e obviamente existem ondas para surfistas de todos os níveis.
      O nosso surf-guide está muito atento aos surfistas que fazem a viagem pela primeira vez, informando e aconselhando sobre cada surf spot, sobre qual o melhor momento para surfar, a melhor maré, se convém usar “botinhas” naquele spot, os cuidados a ter, etc.

    • Claro! Se ele é surfista vai adorar! É uma experiência inesquecível. Se ele é muito novo talvez ele não surfe em algumas ocasiões (um dia com o mar maior), mas seguramente apanhará as melhores ondas da vida.
      Já tivemos a bordo crianças com 9 anos, 11 anos, e também meninas com 14 anos… Todos adoraram e surfaram as melhores ondas das suas vidas. O único problema é que provavelmente eles vão quererem voltar à Sumatra…!

    • Alguns surf spots nas Mentawai já têm crowd, nomeadamente na área do Playground pois o acesso a essa área tornou-se mais fácil nos últimos anos.
      Além do Playground existem dois spots nas Mentawai que por vezes também apresentam crowd (Lance’s right e Maccaronis), mas a maioria dos spots não tem acesso nem alojamento disponível, pelo que continua sem crowd.
      E os outros arquipélagos da Sumatra (Telo, Hinako, Banyak, etc.) parece terem sido esquecidos pelos operadores de barcos e de resorts.  Estas ilhas estão praticamente desertas de surfistas.
      Convém relembrar que as ilhas mais famosas para surfar na Indonésia (Bali, Java, Lombok, Sumbawa, etc.) têm atualmente muito mais crowd do que as Mentawai porque têm acessos fáceis e muitas opções de alojamento barato.
      Em resumo, os únicos surf spots com crowd nas Mentawai ficam na área do Playground (norte das Mentawai) …e nós não vamos para lá muitas vezes (a não ser que os nossos guests façam questão disso).

    • Claro! Podemos levá-lo para qualquer ilha da Sumatra. Nós adoramos surfar nas Telos, Nias, Hinako, Banyak, etc., longe do crowd das Mentawai e com ondas da mesma qualidade. E é possível visitar vários arquipélagos na mesma viagem.
      A viagem às ilhas Telo é simples pois não ficam longe de Padang, e nós vamos para lá muitas vezes.
      Para viagens às ilhas situadas mais a norte (Hinako, Nias, Banyak, etc.) aplica-se uma taxa adicional para combustível (100-200 USD por passageiro, dependendo do destino) pois as distâncias a navegar aumentam significativamente.
      Digam-nos onde gostariam de ir e nós levamo-los lá!

    • Claro! Pode marcar uma boat trip com a duração que quiser.
      As viagens normais têm duração de 10 dias/11 noites; viagens mais curtas são mais baratas; viagens mais longas são mais caras.
      Recomendamos durações entre 8 e 12 dias. Menos de 8 dias e correm o risco de perder aquele swell perfeito por apenas 1 ou 2 dias. Além disso é uma pena atravessar meio mundo para passar tão pouco tempo no paraíso!
      Por outro lado, mais de 12 dias e você estará “farto” de surfar, e completamente exausto …e muitos surfistas ficam cheios de saudades dos filhos, da mulher, de terra firme, etc.  Mas podemos fazer mais de 12 dias! Há uns anos atrás fizemos uma viagem de 24 dias!

    • O preço é um dos factores mais importantes na escolha do barco. Há barcos que custam mais do dobro do que outros, mas atenção porque muitas vezes um barco mais caro não significa necessariamente um barco melhor! De facto alguns barcos de menor qualidade fazem ações de marketing muito fortes e por isso são muito procurados, praticando preços mais altos.
      As características dos barcos são outros factor chave: normalmente um barco grande é mais confortável e mais seguro. Um barco com dois motores é também mais seguro do que um barco com apenas um motor, e é mais rápido!

      O guia de surf é outro aspecto importante: um mau guia pode estragar as vossas férias, ou apresentar-vos surf de qualidade apenas média, enquanto que um guia experiente e dedicado pode proporcionar-vos as melhores ondas da vossa vida …e sem crowd!
      Antes de tomar uma decisão fale com alguém que já tenha feito uma boat trip acerca dos barcos, do guia de surf, etc.

    • Não há um número mínimo de passageiros. Podemos até fazer uma viagem com 2 ou 3 passageiros desde que eles paguem os custos da viagem. Quanto mais passageiros a bordo, mais barato fica o preço por pessoa.
      Para grupos com menos de 8 passageiros o preço por pessoa fica caro, por isso recomendamos grupos com 8-10 pessoas.
      O número máximo é de 10-12 passageiros, dependendo do barco.

    • A maioria dos surfistas trás 2-3 pranchas para uma boat trip de 10 dias.
      Para quem surfa “depressa” recomendo um quiver com tamanhos entre 5’8 e 6’5, dependendo da sua altura e peso.
      Para quem surfa mais “devagar” ou com menos remada, é importante que usem pranchas com boa flutuação (volumes de 28-30 litros, ou maiores para surfistas pesados), para entrarem depressa nas ondas, sem “droparem” atrasados ou sem ficarem “pendurados” na crista.  As pranchas finas e estreitas (volumes inferiores a 27 litros), muito usadas em Portugal, são a principal causa de dificuldades nas ondas da Indonésia.
      Se você surfa de longboard traga-o, mas equacione a hipótese de trazer também uma prancha menor (retro, fish, malibu) porque os longboards são difíceis de manobrar em algumas das ondas tubulares da Sumatra.

    • Sim, sem problema.

    • Sim, mas o máximo permitido à chegada à Indonésia é de 1 litro por pessoa.

    • São absolutamente proibidas! Na Indonésia existe a pena de morte ou de prisão perpétua para a posse ou uso de drogas! Mesmo que sejam pequenas quantidades!
      Além de correr risco de vida, você também colocaria em risco todas as pessoas a bordo.

    • A corrente elétrica a bordo é de 220 V, e as tomadas de energia são do tipo europeu com 2 pinos (idênticas às portuguesas).
      Se você vive nos EUA os seus equipamentos electrónicos funcionam com 110 V, e você precisa de um transformador 110-220 V.

    • À primeira luz da manhã (cerca das 05:45 h) o barco já estará fundeado em frente a um surf spot. O guia de surf dá-lhe um rápido briefing sobre aquela onda e você pode surfar sozinho apreciando o nascer do sol, enquanto os outros surfistas ainda dormem.
      De regresso ao barco tome um completo pequeno-almoço, relaxe um pouco, e volte para a água quando quiser. É normal surfar 2 vezes antes do almoço.
      O almoço é servido por volta do meio-dia, mas se você estiver a surfar não se preocupe, o cozinheiro guardará a sua comida.
      Até anoitecer você pode surfar quanto quiser, comer, descansar, surfar, dormir uma sesta, surfar de novo, ver um filme, surfar mais uma vez…
      Ao pôr-do-sol estará a beber cervejas geladas com os amigos e a discutir as ondas desse dia, enquanto o barco navega para outro surf spot ou para um ancoradouro seguro, normalmente a 1 ou 2 horas de distância, para passar uma noite sossegada.
      O jantar é servido por volta das 19:30h, e após o jantar o fotógrafo faz uma sessão com as melhores fotos do dia.
      Pouco depois (21-22h) você estará cheio de sono, pois cada dia começa ao nascer do sol.

    • Pode nadar, fazer snorkelling nos coloridos recifes de coral, pescar ou fazer caça-submarina, explorar as imediações numa prancha SUP, relaxar numa praia e beber uma água de côco, fotografar os cenários tropicais, visitar uma aldeia, ou apenas relaxar a bordo, ler um livro balançando na rede e deixar-se adormecer, fazer um pouco de yoga ou esticar os músculos doridos do surf, jogar xadrez com os tripulantes indonésios, jogar cartas, ver um vídeo ou ouvir música… e o passatempo favorito de toda a gente, ver e rever em detalhe aquela sequência do seu tubo e exibi-la aos amigos!

    • Os passageiros decidem onde querem surfar, com base nos conselhos do guia de surf, que informa o grupo sobre as ondas disponíveis naquele dia tendo em conta o tamanho e direção do swell, os ventos, marés, etc.
      A principal preocupação do guia é satisfazer as preferências do grupo. Se você não estiver satisfeito com as ondas informe o guia. O que ele mais deseja é que todos os passageiros apanhem as melhores ondas das suas vidas para ficarem com vontade de regressar.

    • A bordo são servidas 3 refeições por dia:  pequeno-almoço, almoço e jantar.
      Nos intervalos das refeições têm à disposição fruta, snacks, bolachas, amendoins, chocolates, etc., e bebidas à descrição.
      O pequeno-almoço inclui muita fruta, vários tipos de cereais, panquecas, ovos/omeletes, pão/torradas, doces, iogurtes, café, leite, chá, sumos.
      Os almoços e jantares consistem normalmente em pratos de peixe, carne, frango, lulas e camarão, acompanhados com arroz, batatas e vegetais, massas e pizzas, sopas, e pratos típicos indonésios (nasi goreng, mie goreng, etc.).
      Quando pescamos peixe graúdo (atum, xaréu, wahoo, etc.) o cozinheiro prepara um aperitivo de sushi ou sashimi.
      As bebidas disponíveis a bordo são: cerveja, água mineral, sumos, Coca-Cola, Sprite, bebidas isotónicas, leite, chá, café…

    • Sim, o preço da viagem inclui 30 cervejas para cada passageiro (média de 3 por dia). Quem quiser mais do que 30 cervejas pode comprar a bordo.
      Outras bebidas alcoólicas (whisky, vodka, gin, etc.) terão que ser compradas no free-shop de um aeroporto porque em Padang não há à venda.

    • Sim, é obrigatório. Você conhece a velha história: os acidentes só acontecem aos outros …até nos acontecerem a nós! De fato é verdade. Ao longo dos anos já assistimos a vários acidentes, felizmente nada de muito grave (roturas dos ligamentos, ombros deslocados, feridas infectadas, etc.), mas mesmo assim alguns deles obrigando a hospitalização, fisioterapia, mudança de voos, etc. Estas despesas são mais do que suficientes para justificar a cobertura do seguro.

    • Em caso de um acidente grave pedimos ajuda por rádio ou com o nosso telefone de satélite, e se necessário seguimos imediatamente para o hospital mais próximo.
      Com frequência existe um médico ou enfermeiro entre os passageiros do nosso barco ou a bordo de outro barco nas proximidades, e em caso de necessidade todos os barcos comunicam via rádio para encontrar um médico.
      Existem hospitais novos na ilha de Nias e em Padang, e vários centros de saúde nas ilhas Mentawai, Telo e Banyak.
      Existem hospitais modernos e médicos de todas as especialidades em Jakarta, Kuala Lumpur e Singapura, cidades situadas a 1-2 horas de voo de Padang. Os tratamentos nestes hospitais podem ser caros, razão pela qual é necessário fazer um seguro de viagem.
      Ferimentos ligeiros e problemas de saúde de menor gravidade, tais como diarreias, febres e gripes, feridas de corais e infecções, etc. são normalmente tratados a bordo com o nosso completo kit de primeiros socorros. O nosso guia de surf tem formação em primeiros socorros e tem muita prática neste tipo de situações, incluindo na aplicação de suturas com anestesia.

    • Numa boat trip o risco é quase nulo. A malária existe na Indonésia, mas sendo uma doença transmitida por mosquitos é pouco provável que alguém seja infectado numa viagem de barco porque não há mosquitos no mar nem a bordo. O risco é mínimo, e na verdade não conhecemos nenhum caso de malária contraída numa boat trip.
      No entanto recomendamos que antes de viajar para a Indonésia consulte um médico para se informar sobre as doenças tropicais e os cuidados a ter, e se necessário tome medicação apropriada.

    • Provavelmente não. Os casos de enjoo nestas viagens são raros porque na Sumatra o mar é normalmente bastante calmo, e nas poucas ocasiões em que se torna agitado nós evitamos navegar e ficamos abrigados numa baía protegida.
      Por vezes o mar apresenta-se agitado durante a travessia entre Padang e as ilhas, mas é raro.
      O enjoo não é um problema nestas viagens.

    • Transporte do aeroporto de Padang para o barco, e regresso ao aeroporto;
      Todas as refeições e bebidas não alcoólicas a bordo;
      30 cervejas geladas para cada passageiro (média de 3 cervejas por dia);
      Guia de surf;
      Taxas aplicáveis pelo governo das Mentawai;
      Uso de todos os equipamentos a bordo.

    • Voos;
      Seguro de viagem (obrigatório);
      Refeições fora do barco;
      Hotel em Padang, se necessário;
      Fotógrafo de surf (opcional);
      Gratificações para a tripulação do barco (normalmente 50 USD por passageiro);
      Assistência médica ou hospitalar, se necessária (por isso é necessário ter seguro).

    • Passaporte com 6 meses de validade no mínimo;
      2 fotocópias do passaporte;
      Impressão do bilhete de avião de ida-e-volta para a Indonésia (por vezes as autoridades de fronteira exigem a apresentação do bilhete de regresso a casa);
      Fotocópia da apólice de seguro, com as informações para acioná-lo (contactos, procedimentos, etc.);
      Cartões de crédito/débito para levantar dinheiro em caixas multibanco.

    • Muitas vezes sim, mas nem sempre. Atualmente já existem muitos locais nas ilhas da Sumatra com cobertura de rede móvel, e cada ano que passa há mais e melhor cobertura. É raro ficar mais de 2 dias seguidos sem rede.
      Temos também um telefone por satélite a bordo para as situações em que não há cobertura de telemóvel, e para emergências.

    • Às vezes. Quando a cobertura de telemóvel é boa é possível aceder à internet com um smartphone. A melhor forma de consegui-lo é com um cartão SIM de uma rede móvel indonésia num smartphone desbloqueado, e um pacote de dados. Pode adquiri-los em Padang antes de embarcar; não é caro.
      Não conte com uma cobertura excelente nem com acesso rápido, mas é suficiente para receber e enviar e-mails, consultar as previsões de surf, e por vezes até para fazer chamadas vídeo (skype, whatsapp, etc.).

    • Sim, se o grupo quiser. Peçam-nos com antecedência e nós tratamos disso. O preço ronda 150-200 USD por cada passageiro, dependendo do fotógrafo.
      Normalmente o fotógrafo faz 2 a 3 sessões de fotos por dia, incluindo fotos dentro de água com caixa-estanque. No final de cada dia faz um slide-show, e no fim da viagem entrega a cada passageiro um ficheiro com todas as suas fotos e outro com fotos das paisagens, do grupo, do dia-a-dia a bordo, etc.
      Os fotógrafos dos barcos são experientes e fotografam todos os passageiros, mesmo aqueles que não são excelentes surfistas, e normalmente no final da viagem todos têm fotos em quantidade satisfatória.

    • Sim, se você estiver satisfeito com a tripulação. Normalmente eles merecem mesmo!  Nós sugerimos como mínimo 50 USD por cada passageiro, no fim da viagem.

    • 2-3 pranchas de surf, quilhas, e 3 leashs;
      Wax para água quente (25-30º C);
      Botinhas para surfar (reef-shoes);
      2 pares de calções para surfar;
      3 T-shirts + 1 T-shirt para surfar;
      Toalha de praia;
      Chapéu;
      Sandálias;
      Óculos de sol;
      Protetor solar (SPF 30+);
      Livro;
      Memory stick com 16 Gb para guardar as suas fotos;
      Documentos: passaporte + fotocópias, bilhete de avião, fotocópia da apólice de seguro, cartão de crédito;
      Telemóvel;

    • Sim, desde que haja uma pessoa para o substituir. Não é difícil encontrar um substituto, desde que com alguma antecedência.

    Se não encontra uma resposta para a sua pergunta,
    por favor entre em contato conosco!

    Contacte-nos

    Notícias Recentes

    mantenha-se atualizado